Desnotícias:Assassino em série aterroriza população da região oeste do DF e ninguém dá a mínima

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

CEILÂNDIA, Brasil

A nova novela da Record: Procurando Lázaro.

No dia 12 de junho, um homem já incidente em crimes chamado Lázaro Barbosa de Souza praticou o latrocínio (eu não preciso dizer que significa roubo seguido de morte porque em todo lugar já falam isso) contra uma mulher, sendo que a mesma já tinha sofrido nas mãos do homem no dia 8, quando perdeu o marido e os dois filhos, tudo isso ocorreu no Incra 9, região rural da cidade de Ceilândia, Distrito Federal.

De início ninguém ligou para o ocorrido, pois quase todos os jornais influentes na unidade federativa são de Brasília e porque latrocínio em Ceilândia não é novidade pra ninguém e acontece toda hora, entretanto a atenção ao caso ganhou maior repercussão após ele realizar mais crimes bárbaros na região, sempre em regiões de mata, e expandindo pouco a pouco sua área de atuação, chegando até mesmo em cidades do entorno, como em Cocalzinho de Goiás.

E agora, para dizer em propagandas do governo que a polícia do DF é uma das melhores do mundo, mandaram uma força tarefa gigantesca pra pegar Lázaro, juntamente com a polícia de baratas tontas do Goiás, mas como nenhum dos policiais têm experiência em perseguições no meio do cerrado, ainda vai demorar bastante para pegar esse serial killer ceilandense.

500 policiais, com sniper e tudo começaram um tiroteio contra ele, mas ele ativou o cheat de imortalidade, conseguiu escapar, e até hoje não foi encontrado, atualmente, a polícia está fazendo uma busca em Puta que pariu para achar ele, onde o mesmo continua pulando de cidade em cidade e sem sucesso até o momento para encontrá-lo.

  • Atualização: 28/06/2021 10:54 A.M.

Após 20 (vinte) dias com cheat de 5 estrelas, CJ Lázaro Ramos Barbosa virou presunto

Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram