Guia de Recolhimento de Receitas da União

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Logo Brasil.png
Modelo do documento. Note que não se trata de uma receita como o próprio nome sugere, mas sim um boleto bancário qualquer (clique para ampliar).

Guia de Recolhimento da União, também conhecido pela sigla GRU (leia-se gr̉̉ú̉), é mais um integrante da interminável série dos impostos brasileiros. Na verdade se trata de um papelzinho usado pelo governo quando quer te cobrar por algum serviço que teoricamente, deveria ser gratuito. Um exemplo claro de como ocorre essa extorsão é o alistamento militar obrigatório que exige esse pequeno, porém nobre contributo para a emissão do certificado de reservista (coisa que as molieres nunca conheceram de perto). Ora, se é obrigatório a aquisição do certificado de quitação militar, é obvio que o governo irá contar com essa taxa que todo homem na flor da puberdade terá que pagar.

Cobrança[editar]

A guia também é usada em outros "custos operacionais" como emissões de passaportes, pagamento das milhares de taxas de leilões judiciais (e causas perdidas também), financiamento do caça-níqueis do Estado, também conhecido por concurso público e também ajudar a fomentar uma das indústrias que mais crescem no Brasil, mesmo em tempos de crises, a da Multa.

Apesar de parecer bastante controversa — todo imposto acaba sendo controverso —, a GRU também é usada para custear taxas irrelevantes como o da Justiça Federal. É irrelevante porque se você for pensar no trabalho que dá acordar 7h de um domingo chuvoso para ir escolher qual serão os próximos filhos da puta a mamar nas tetas do Estado pelos próximos quatro anos para depois ter a dor na consciência de que colaborou ajudando a vários cânceres malignos a saquear e acabar com toda uma nação. Tendo isso em mente é possível ver como o valor chega a ser irrisório.

Veja Também[editar]