Ministério

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Pra que serve? Cquote2.png
Qualquer cidadão brasileiro sobre os ministérios de seu país

Discionario em png.PNG O Descionário possui um verbete sobre Ministério

Cquote1.png GO U-S-A(x3)!1 Cquote2.png
Qualquer cidadão americano sobre os departamentos de Estado de seu país
Cquote1.png Ministère de Liberté, ministère de égalité, ministère de fraternité, moins ministère de immigrée! Cquote2.png
Qualquer bicudo francês sobre os ministérios que gostaria de ver em seu país


Ministério desgovernamental como é chamado em países em subdesenvolvimento, ou ainda Departamento de Estado são alguns dos nomes dados a divisões no executivo cujo o objetivo seja empregar aliados e ao mesmo tempo, mostrar a população do país que "está trabalhando" quando na verdade só estão tentando se perpetuar no poder através de pequenos acordos comerciais com seus asseclas.

Os desocupados que ocupam a este cargo normalmente são denominados como "ministros", ou "secretárias". Mas em países como o Brasil, por exemplo, os dois termos podem coexistir como explica o famoso sociólogo, professor de letras, e humanista brasileiro:

Cquote1.png Acontece o seguinte meu filho... Na República Bolivariana Brasileira, como todos sabem e se você não sabe porra tem que ser muito comunista para não conhecer as arquievidências irrefutáveis de que em Joaçaba fetos abortados e outras aberrações, uma anormalidade! [...] Nascem depois que uma secretária boazuda chupar a piroca do Ministro e dá a bunda pra ele, tá entendendo!?
Ovo de Caralho sobre sobre a etimologia do termo "Ministério"


Os ministros[editar]

Ministro da Justiça anunciando o começo da paz.

O(a) ministro(a) normalmente começa sua carreira ainda na escola, período que se destaca dos demais estudantes da fauna escolar por ser alguém que esbanja popularidade, mas que não é dotado de beleza. Por isso, saiba que aquele seu ex-colega feio, espinhudo, perebento, seboso que ia pra escola cheio dos pûs das espinhas escorrendo pelo rosto, dando a impressão (verídica) de que ele não tomava banho antes de ir para a escola e que mesmo assim 'pegava' as minas mais gostosas da escola ou aquela sua amiga gorda, que não limpava ou depilava as partes e era a comida predileta do marombeiro com micro-pênis mais bonito da regiãoeu, pode estar trabalhando no melhor cargo de algum ministério neste momento e muito provavelmente você irá ve-lo(a) hoje a noite dando entrevista no Jornal Nacional explicando um novo escândalo do governo ou falando de algum problema nacional permanente, como falta de médicos ou a educação (ou a falta dela) no Brasil.

Um ministro(a) é o ser que realiza acordos usando somente os lábios (não estes que você está imaginando e nem pra fazer isso que você está pensando). Se ele (ou ela) for muito bom no que faz, vai conseguir negociar uma ilha dos russos em troca de nada ou mendigar com sucesso, investimentos em infra-estrutura nacionais com os americanos em troca de Samba, muito Sambar. Por outro lado, se o ministro for um secado, ser um desafortunado malsucedido, for um paraquedista político, um caga-xaveco ou simplesmente o sujeito não nasceu pra política, o ele(a) irá negociar uma suposta refinaria em troca de toda receita que o país tem (ou ainda vai ter), ou ainda doar grana a alguns países da africa subsaariana em troca de gastar mais dinheiro aqueles países fazendo grandes obras que serão doadas depois a terceiros.


Os ministérios[editar]

Uma das funções mais importantes de um ministério: A recomendação!

Os ministérios tem diferentes denominações em diferentes países, de acordo com o nível de importância que ele tenha no país de origem. Por exemplo, um Departament seria um pequeno amontoado de soldados mapeando áreas para invasão em território alheio, logo, a denominação Departament pertence aos Estados Usurpados da Amépobre. No caso de Ministério este teria a função de burocratizar ainda mais um estado burocratizado, travando "o andamento do processo". Neste caso, estamos falando do califado francês e da terrinha de prultugal.

No Brasil[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Ministérios do Brasil

Os ministérios no Brasil ainda tem uma função bastante interessante que é a de combate ao desemprego, pelo menos onde eles se situam, como foi o caso do Rio de Janeiro, no extinto estado da Guanabara e depois de 1959 passou a ser do Detrito Federal. No atual federal district brasileiro se incluirmos na contagem todos os ministérios, as autarquias, e outros órgãos públicos, as administrações públicas chegam a ser os responsáveis por 100% dos empregos da região. No Rio, até 1959, os ministérios eram responsáveis pelo sustento daquela população que depois da mudança da capital para o cerrado brasileiro ficaram sem alternativa e por isso deram origem as favelas(leia-se: ffa-veh-láh), grande ponto turístico local.

Função dos Ministérios na Política Nacional[editar]

Ainda no Brasil, alguns ministérios como o Ministério das Cidades, uma invenção genuinamente brasileira, foram criados a fim de solucionar um pequeno mal recorrente na história brasileira recente, concebido depois da trágica reconstituição de 1988. Em um país com n partidos políticos e somente "alguns pouquíssimos" ministérios se comparado ao número de partidos políticos, os estes órgãos ministeriais passaram a servir como estabilizadores políticos onde o irresponsável pelo comando do país distribui cargos a rodo ─ e se os existentes não forem os suficientes, cria mais ministérios ─ se assim não fizer, o presidente da câmara vai pedir a cabeça do chefe de estado no jantar de uma segunda-feira. E isso tudo em nome da dita governabilidade.

A não ser que ocorresse um cataclismo a nível apocalíptico que fizesse algum partido mediocraticamente minúsculo como o PSC, PCO e o PSOL ─ onde nem o candidato a presidente do partidos vota nele mesmo ─ ganhar as eleições presidenciais (ganhar com maioria percentual dos votos, que fique bem claro), porque aí seria governo de partido único, situação que o Congresso Nacional brasileiro odeia. A satisfação dos congressistas só seria possível mediante pequenos acordos comerciais e claro, um cargozinho em algum ministério que manipule muitas cifras, para que aqueles cleptomaníacos possam fazer o restante do serviço.

Ver também[editar]