Sávio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Sávio Bortolini Pimentel)
Ir para: navegação, pesquisa
Sávio
Sávio Flamengo.JPG
Dia no trampo
Apelidos Sálvio o Flamengo
Nascimento 9 de Janeiro de 1974
Vila Velha
Nacionalidade Bandeira do Brasil Brasil
Altura 1,76
Peso 68 kg quando jogava, hoje tá com aquela barriga de churrasco
Posição Atacante pivô
Direito
Clubes Flamengo
Estilo de Jogo Impedido
Gols Só no Ronaldinho Soccer


Cquote1.png O peixe aí seria meu figurante! Cquote2.png
Romário sobre Sávio
Cquote1.png E o meu também! Cquote2.png
Edmundo sobre Sávio
Cquote1.png FILHO DA PUTA! Cquote2.png
Vascaíno sobre Sávio pela obra no Flamengo
Cquote1.png FILHO DA PUTA! Cquote2.png
Vascaíno sobre Sávio pela obra no Real Madrid
Cquote1.png É favelado! Só pode ser coisa do Flamengo mesmo! Cquote2.png
Vascaíno sobre Sávio
Cquote1.png SOME DAQUI! Cquote2.png
”Os Galáticos” pro Sávio em 2002
Cquote1.png Traidor! Cquote2.png
Flamenguista sobre a saída de Sávio do time em 2007
Cquote1.png Desculpa! Cquote2.png
Flamenguista após saber a verdade da saída de Sávio em 2007
Cquote1.png Já quebrei! Cquote2.png
Dinho sobre Sávio
Cquote1.png Nós também! Cquote2.png
Zagueiros que jogaram o Campeonato Brasileiro de Futebol de 1996 sobre Brasileirão de 96
Cquote1.png Oh, my God! I Can’t Believe! Cquote2.png
Kaiser Chiefs sobre Sávio ferrar o Vasco em 2 clubes diferentes
Cquote1.png Meu mestre! Cquote2.png
Renato Augusto sobre Sávio e a prática de sair do país de saco cheio de apanhar

SÁVIO BORTOLINI PIMENTEL, ou só Sávio, pois ninguém têm paciência pra falar nome completo de ninguém, era um boleiro jogador de futebol que pode ser considerado um Pesadelo Universal pros Vascaínos, por ser o 1º jogador da história do mundo a foder um time defendendo 2 clubes diferentes, nesse caso, o Flamengo e o Real Madrid. Foi escarrado em 9 de janeiro de 1974, em Vila Velha, no Em Nome Do Pai, Do Filho, Espírito Santo, Amém.

O Pequeno Sávio:[editar]

Quando criança em Vila Velha, Sávio não era muito popular, pois tinham medo dele por causa de seu sobrenome italiano, que remete as Famiglias Italianas, então, pra conquistar o respeito, se matriculou na escolinha do Desportiva Capixaba pra jogar futebol, pois sabia que esse é o caminho mais rápido pra ser respeitado no Brasil. Onde jogava com, pessoas que não queriam saber do sobrenome umas das outras. Enquanto jogava no Desportiva, um olheiro do Flamengo sempre ia aos jogos disfarçado de padre (entenderam? Padre, Espírito Santo...), e anotava e caguetava tudo pros dirigentes do time carioca porque queriam preparar um jogador pro ano do centenário sem nem imaginar que seria o 1º Centenada do futebol brasileiro.Após as negociatas, por R$150 e algumas obras na cidade, o Sávio migra pro lado Urubu da Força, onde se preparava proCentenada Centenário.

No Flamengo:[editar]

Cquote1.png Já avisei que vai dar merda isso! Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre o trio acima

Sávio ainda conseguiu curtir o fim dos anos 80 no Rio com tudo o que tinha direito: Rock da melhor qualidade, Tokusatsus na Rede Manchete, festas Ploc e tantas outras coisas que os adolescentes tanto gostavam. Era a legítima história de um cara que saiu da roça e foi pra cidade grande pra ganhar a vida. Mas os anos 80 acabaram. Era o começo dos anos 90, uma geração marcada pela melancolia e depressão, com o Grunge, o Bônus B do Top Gear 3000 e o fim da Rede Manchete. Sávio não seguiu a tendência e viu que precisava amadurecer, já que ele iria jogar no time de cima. Se preparando pra ser o fodão do Flamengo (“Framengu”, “Framengo”, “Flavela” ou “Flamerda” como emos e coloridos gostam de chamar) no ano do Centenada Centenário. 3 anos depois, seria a hora dele brilhar: seria, pois lhe passaram a perna e, de fodão, foi rebaixado a figurante, com a chegada de Romário e Edmundo, assim formando o Ataque do Pesadelo dos Sonhos, mas, a merda começou a ser feita quando Renato Gaúcho, o maior pegador do futebol dos anos 80 fez um gol de barriga, deixando o time em crise. Sávio ficou puto com tudo isso, mas, ainda sim resolveu mostrar pro Flamengo que ele seria o cara. Pra piorar, o Romário briga com o Pofexô e, como o jogador recebia o salário maior, o treinador foi demitido. Apolinho assume o time, Edmundo sai e ele consegue o seu espaço tarde demais. Mesmo com seus malabarismos e os hematomas resultados dos jogos do Grêmio, por causa do baderneiro Dinho, que usava os jogadores do Brasileirão de 95 como sparrings pra chegar com tudo em Tóquio pra quebrar Overmars, Seedorf, Kanu, os Irmãos De Boer e toda a corja do Ajax, e o Sávio foi um dos contemplados nesse direito de ser sparring dele. Não foi o suficiente, pois o Flamengo conseguiu o Centenada. No ano seguinte, liderados por Dinho, os jogadores começam, a querer melar sua carreira, o exterminando em campo, já que ele não era intocável como o Romário, pois sabiam que a punição por quebrar o Romário seria maior. Foi convocado pra jogar os Jogos Olímpicos de 1996, se tornando intocável a partir dali, até porque o Brasil não tinha ganho o ouro ainda (e ainda não conseguiu), mas, Kanu não deixou que eles ganhassem e só voltaram com o bronze. A torcida arco-íris o culpou por não ter ganho, pois jogava no Flamengo e a lei é: se tiver um jogador do Flamengo numa seleção não-vitoriosa, a culpa deve cair nele. Em 1997, foi estabelecida a temporada de caça ao Sávio no Brasil. Enquanto isso, o time vai pra uma temporada de verão chique em Palma de Mallorca, onde Sávio humilhou o Real Madrid. Voltando, começaram a quebrá-lo, e, com direito a Romário se tornando adepto do movimento, numa crise emo, se encheu daquilo e pediu pra sair, pra jogar no time que humilhou há pouco tempo.

No Real Madrid:[editar]

Galáctico, se quisessem

Pra preservar a saúde, Sávio se mandou desse país de zagueiros carniceiros, e foi pra Espanha, atraído principalmente pelo dinheiro e as espanholas que o contrato previa. Em 1998, conseguiu algo que jamais conseguiu no Flamengo: um título relevante, num campeonato fuleiro. Acho que se chama UEFA Champions League, assim se credenciando a enfrentar o Vasco, que queria expandir mundialmente sua tradição de vice. Sávio queria entrar pra história como o 1º jogador a sacanear o Vasco jogando por 2 clubes diferentes. Contou com a ajuda dos flamenguistas, com o maior fenômeno popular de 1998: a Fla-Madrid. E conseguiu, ganhando o Mundial com 2 golaços: um do Nasa e outro do Raul, e fica famoso por lá na Espanha. Mas, a fama não ia durar pra sempre. Após 3 anos jogando bem e sendo titular, com carrões, iates, mansões e mulheres, inicia o projeto galáctico FAIL, e os contratados, entre eles, um um excelente cabeceador, Um portuga e o 1º boleiro afeminado da história, o expulsaram do time, tendo que sair por falta de espaço.

O Resto da Carreira:[editar]

O Real o emprestou pro Bordeaux, na França, onde conseguiu jogar sem comprometer sua sexualidade, enquanto a suruba rolava lá no Real Madrid, já que acabaram de ganhar mais uma Champions. Muito antes de descobrirem que a iniciativa galáctica daria merda, os espanhóis o vendem pro Real Zaragoza, onde arranjou um jeito de se vingar dos Galácticos pelo chute que ganhou em troca de 5 anos de trabalho. De saco cheio da Espanha e com saudades do feijão e do pagode, ele resolve voltar pro Brasil, pra ver daqui os galácticos se fadando ao FAIL. Voltou pro Flamengo.

De Volta ao Flamengo:[editar]

Com saudade da comida da mamãe, Sávio volta pro Flamengo pra encerrar a carreira, pois já tinha conseguido sacanear o Vasco com 2 camisas diferentes, já tava milionário, já tinha achado uma Maria Chuteira pra passar a eternidade (ou a próxima lesão grave) ao seu lado. Após jogar e ajudar o Flamengo a fazer figuração no Brasileirão de 2006 e a ser roubado por Hector Baldassi na Libertadores de 2007, sai do Flamengo e volta a Espanha, após uma manobra do Zaragoza que conseguiu passar a inocente diretoria do Flamengo pra trás, só que pra ir pra Real Sociedad, e sendo taxado de traidor pelos flamenguistas.

Fim da Carreira:[editar]

Da Sociedad Secreta, foi pro Levante, pra tentar dar um levante no time local, mas, tomou um calote (não é só aqui que isso acontece) e saiu. O calote só ajudou na hora de provar sua inocência na saída do Flamengo. Resolveu voltar pra casa (dessa vez voltar pra casa MESMO), voltando pra Desportiva, onde resolveu ficar por lá pra encerrar a carreira. Num time pequeno não há tantas responsabilidades.

Não o deixaram se aposentar

Uns Chifrudos cipriotas o acharam escondido na roça e o chamaram pra voltar a Champions, pelo Anorthosis Famagusta, do Chipre, mais uma vez, sua tentativa de encerrar a carreira já era. Jogou a Champions, fez com que a lógica acontecesse, ou seja, foi eliminado na 1ª fase sem direito a vaga na Copa da UEFA, e, como era fã do Gustavo Kuerten, resolveu atender o apelo do tenista e foi jogar no Avaí, onde jogou, mas foi expulso de lá por não ter conseguido fazer com que o time não lutasse pra não cair. Hoje ele está aposentado (finalmente conseguiu), e, se quiser vê-lo, ele deve estar em Valencia tentando receber o que deve do Levante.