Página principal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Bem-vindos à Desciclopédia

A enciclopédia livre de conteúdo que qualquer um pode editar.

61 260 artigos · 203 254 imagens

Ajuda

Embaixada

Perguntas

Políticas

Portal comunitário

Mídia

Chat

Contribuir

Artigo em destaque
Gordon Liu demonstrando o Broom in Ass Kill Confession, técnica milenar shaolin importada pela segurança pública brasileira.

A Câmara 36 de Shaolin (Shao Lin San Shi Liu Fang no original) é um filme de kung fu honconguês de 1978 que conta a história do lendário monge shaolin San Te, considerado um dos maiores e mais influentes filmes de lutinha que não contam com Bruce Lee no elenco, pois ele já tinha peidado pra muzenga há muito tempo. Mas nem precisava dele pois esta obra de arte revelou Gordon Liu, pai de Lucy Liu, o eterno shaolin carequinha.

Num ano qualquer da Dinastia Qing na China, o jovem estudante Liu Yude é influenciado por seu professor de filosofia a aderir à ienziésima rebelião local da vez (o bom disso é que todo ano tinha revoltas lá. Então dá pra situar essa história em qualquer ano aleatório). Mas como não dá pra dar um peidinho na China sem o governo manchu ficar sabendo, o general local Se Tien Ta Me Pe Ga baixa um dia na vila e num ato de injustiça totalmente desproporcional mata o professor, a maioria dos alunos, o pai de Liu e ainda destroem a peixaria do véio só pra humilhar mais.

Mas num clichê cinemático claro que houve um sobrevivente, o próprio Liu, que consegue escapar da vila...

Compartilhe: Compartilhe via Facebook Compartilhe via Twitter



Eventos recentes


Neste dia...


Sabia que...


Imagem do dia
 
Apresentação
Batata desciclo sem texto.gif
Bem-vindo(a) à Desciclopédia, uma (des)enciclopédia escrita com a colaboração de seus leitores. A Desciclopédia é um site de humor debochado e seu conteúdo não deve ser levado a sério. Todas as nossas regras e políticas convergem para um só princípio: ser engraçado e não apenas idiota. É um princípio amoral, mas que implica numa ética subjacente. Significa que, no âmbito da Desciclopédia, só podem ter procedência as críticas que se refiram à qualidade divertida de um artigo. Não tem, portanto, nenhum sentido tentar defender os méritos morais ou artísticos de algo que você gosta (banda, filme, personalidade, programa, game, etc.) e que tenha sido sacaneado num artigo da Desciclopédia. Essas coisas não interessam nem um honorável pouquinho aqui.


Participação

Todos podem publicar conteúdo on-line desde que não sejam vândalos ou desrespeitem as regras.

Dentre as diversas páginas de ajuda à sua disposição, estão as que explicam como criar um artigo, editar um artigo ou inserir uma imagem. Em caso de dúvidas, não hesite em perguntar e dar sua apnião.


Comunidade
A comunidade vem crescendo dia após dia. Porém precisamos de mais colaboradores para podermos ampliar o número de artigos em língua portuguesa e expandir, melhorar e consolidar os que já existem.


Projetos irmãos

A Desciclopédia existe graças à entidade sem fins lucrativos Fundação Desciclomídia. A Desciclomídia opera vários projetos em diversas línguas, sempre com conteúdo livre: